Inicial

DÊ UMA SEGUNDA CHANCE

         No último sábado (28/08), recebemos um telefonema, às 7:00 hs da manhã, do Sr. Dante Bordini, funcionário do Hospital Municipal de Ibiraci, avisando-nos do atropelamento de uma coruja, ocorrido na rua Coronel Temóteo, sendo que a ave ainda se encontrava viva, mas sob risco de ser atacada por algum cão; perguntava-nos se era possível tomar alguma providência. Chegando ao local, percebemos que o animal estava sendo protegido por dois cidadãos ( Ricardo Clausing e Adriano) à nossa espera. Resgatamos a ave e entramos em contato com o veterinário Dr. Paulo Correa, que em poucos minutos chegou ao seu consultório e iniciou o atendimento.
Após um procedimento de assepsia diagnosticou uma grave fratura na asa direita e escoriações no mesmo lado do corpo, foi feita uma imobilização do membro e o animal recebeu dosagens de analgésico e antibióticos necessários para iniciar um período de observação.
Durante todo o procedimento, percebemos a passividade da ave, que mesmo sob forte stresse não se tornou agressiva e com seus enormes olhos parece que nos comunicava uma forte intenção de colaborar e de lutar por sua vida.
Ficamos pensando então, que nossa campanha para evitar atropelamentos de animais silvestres nunca tinha abordado este tema: se aconteceu o atropelamento, será que o animal não merece a chance de se recuperar? Quantos motoristas já pararam para tentar salvar o bicho acidentado? Acredito que nenhum. Que pena, o atropelamento nesses casos é sempre fatal, porque ninguém aparentemente se preocupa com a possibilidade de dar uma chance de sobrevivência ao animal.



Infelizmente, apesar dos cuidados do Dr. Paulo Correa, recebi seu telefonema no domingo (29/08) pela manhã, de que nossa paciente não havia resistido.
Lamentamos, os dois, mas acho que podemos aprender com a lição, de que pode haver uma chance para estes animais, se nós tivermos uma atitude solidária e cidadã. Parabéns ao Dante, ao Ricardo, ao Adriano e ao Dr. Paulo. Tivemos uma lição que queremos partilhar com todos.
Afinal, como diz o nosso poeta Jacintho Honório “...é a chama da vida que ilumina a beleza e a sombra da morte que abriga a tristeza”.

Agradecimentos também à fotógrafa Elenilda.

 

MENU NOTÍCIAS       -       PÁGINA INICIAL