Inicial

Presépios,
Magia e Devoção.

         A civilização cristã encontra na Natividade de Jesus o símbolo da presença do Divino entre nós. A encarnação do Verbo no seio de uma família humilde de Nazaré, seu nascimento em Belém, por circunstância de um censo histórico, sua fuga para o Egito para fugir à fúria de Herodes, sua infância na oficina de José e seu ressurgimento aos 30 anos, pronto para ser o condutor da Humanidade... atendendo a todas as profecias bíblicas ou apócrifas, como também ocorreu em outras civilizações em outras épocas...
A "velha ordem" não deseja o nascimento do herói, do elemento renovador que rompe equilíbrios e traz conflitos. É a imagem do arquétipo da criança divina de Jung: ela é salvadora, vem ao mundo para a redenção.


No entretanto, esta "criança num antro profundo" precisa ser escondida ou abandonada para não ser assassinada pela velha ordem (representada por Herodes na versão cristã). Em segredo, ela é nutrida e ajudada pela natureza ou por alguma outra força divina ( Moisés, Jesus, Zeus). Ela vem para salvar; pode ser mortal ou imortal, mas seu nascimento, geralmente num ambiente sombrio, tem algo de milagroso, de misterioso.
Quem sacraliza a cena cristã do Nascimento é São Francisco de Assis em 1223 que, em companhia de Frei Leão e com a ajuda do senhor Giovanni Vellina, montou em uma gruta da floresta na região de Greccio, Itália, a encenação do nascimento de Jesus. Na epóca já havia 16 anos que a Igreja tinha proibido a realização de dramas liturgicos nas Igrejas, mas São Francisco pediu a dispensa da proibição desejoso que estava de lembrar ao povo daquela região a natividade e o amor a Jesus Cristo. O povo foi convidado para a missa e ao chegarem à gruta encontraram a cena do nascimento vivenciada por pastores e animais.


Criada a representação do presépio no século XIII, a propagação do cristianismo se encarregou de levá-la a todos os povos do planeta e durante 800 anos a cena recebeu todos os matizes de todas as culturas e tradições, de todas as latitudes e devoções e apresenta-nos, no século XXI, a vitalidade do mito latente na Arte e na Fé, confirmando o anseio do homem espiritual na agenda de uma Humanidade em constante evolução.
O colecionador, jornalista César Tadeu Elias, concede à PROBRIG, o privilégio de poder oferecer à comunidade de Ibiraci e região, neste Natal de 2010, um espaço de beleza, arte e reflexão ... a exposição “Presépios, Magia e Devoção” está aberta na Sala Maria Amélia de Vassimon desde o dia 25 de dezembro para que todos venham ver, através de 58 presépios, de todo o mundo ( Angola, Alemanha, Argentina, Bolívia, Brasil, África do Sul, México, Paraguai, Venezuela, Itália, Canadá, China, Peru e outros) e de todas as formas e materiais ( madeira, pedra, cerâmica, cristal, palha de milho, palha de bananeira, argila, resinas, borracha, etc), como a cena da Natividade é vista e refletida pelos homens. A força da Arte envolvida pelo vigor da Fé é de fato um belo presente de Natal para todos nós.

Feliz Natal a todos e Feliz Ano Novo também.
Texto curatorial.


 
 

















 

MENU NOTÍCIAS       -       PÁGINA INICIAL