Inicial

PESQUISA HISTÓRICA
AHPSJ E PROBRIG

         Pesquisadores e historiadores da Associação dos Historiadores e Pesquisadores dos Sertões do Jacuhy e da PROBRIG iniciaram um processo de pesquisa sobre as biografias do CAPITÃO PEDRO FRANCO QUARESMA e do CAPITÃO HIPÓLITO ANTONIO PINHEIRO.
         O processo de pesquisa proposto pelo grupo contará com o apoio do nosso site, onde será reunido todo o material, à medida em que for sendo coletado pelos integrantes do grupo e periòdicamente quando das reuniões entre eles, serão utilizados métodos científicos para organiza-los e permitir uma maior compreensão dos mesmos.
TODAS AS PESSOAS QUE SE INTERESSAREM, PODERÃO PARTICIPAR enviando informações, copias de documentos e textos sobres os mesmos, desde que se identifiquem e citem as fontes utilizadas.
A expectativa é a de que a reconstrução de biografias mais detalhadas destes dois vultos históricos, permita uma maior compreensão da história regional dos “Sertões do Jacuhy”.
Desde já agradecemos a participação e o desprendimento dos envolvidos no projeto que elegeram a reconstrução destas biografias uma tarefa comum e não um projeto individual.

DOCUMENTOS SOBRE O CAPITÃO HIPOLITO ANTONIO PINHEIRO



“Memória sobre a viagem do Porto de Santos à Cidade de Cuiabá”
Luiz D’Alincourt – Ed.da Universidade de São Paulo, 1975
Págs.70, 71 e 72 – acervo PROBRIG


Texto publicado pelo jornal “Comercio da Franca”
Em 28/11/2005
Acervo PROBRIG

 

Testamento de Ana Rosa de Jesus, mãe do Cap. Hipólito Antonio Pinheiro
(material disponibilizado pelos genealogistas Sonia Regina Belato de Freitas Lelis e Walter Antonio Marques Lelis)
 


Fotos e transcrições feitas por Walter Antônio Marques Lelis e Sônia Regina Belato de Freitas Lelis,  a partir de microfilmes da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mórmons):

 – Livro de Óbitos da Matriz de N.Sra. da Conceição do Jacuhy-MG, às folhas 100.

 “Recem nascido
No anno de mil oito centos e tres feleceo da vida presente nesta Freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Jacuhy hum recem nascido filho de Hypolito Antonio Pinheiro e de sua molher Rita Angelica do Sacramento. Seo corpo foi sepultado no Rio das Velhas, sendo fregueses desta Freguesia de que para constar mandei fazer este assento, que assigney.
O Vigro Collado Manuel de Freitas Sª.”
__________________________________________________________

- Livro de Óbitos da Matriz de N. Sra. da Conceição do Jacuhy-MG:

“Anna
Aos vinte e dois dias do mês de Maio de mil oitocentos e quatro annos, nesta Freguesia do Jacuhy, faleceo da presente vida sem sacramento algum, por não ser chamado que lhe adminystrasse, Anna Mulata, de que idade não souberão dizer, escrava de Hypolito Antonio Pinheiro, morador do Ribeirão do Oiro, do bairro do Atterado, Districto desta Freguezia. Seo corpo foi por mim recomendado e sepultado no deixado [?] Cemitério da Lage: de que para constar mandei fazer este assento que assigney.
O Vigro Collado Manuel de Freitas Sa “
____________________________________________________________

- Livro de Óbitos da Matriz de N. Sra. da Conceição do Jacuhy-MG:

“Aos tantos [?] de janeiro de mil oitocentos e quatro annos nesta Freguezia de Jacuhy faleceo ds presente vida, sem sacramento algum, por não se chamar quem lho administrasse, Manoel do gentio da Guiné, solteiro, idade de sincoenta annos, pouco mais ou menos, escravo de Hypolito AntOnio Pinheiro, morador no Ribeirão do Oiro do bairro do Atterrado, seo corpo foi por mim recomendado, sepultado no deixado [?] Cemitério da Lage, de que mandei fazer este assento que assigney.

O Vigro Collado Manuel de Freitas Sa “

________________________________________________________________

Documento enviado pelo prof. Wanderlei Donizeti Pereira


 

Transcrição enviada pelo pesquisador Walter Antonio Marques Lelis

Documentos sobre o Cap. Pedro Franco Quaresma

DADOS PEDRO FRANCO QUARESMA EM JACUÍ

Segue abaixo os óbitos de escravos do Capitão Pedro Franco Quaresma, no livro 1 de óbitos da Paróquia de Jacuí, juntamente com o óbito da esposa do Capitão que foi sepultada em Jacuí.

No livro 1 de óbito referente ao dia 06/10/1791 encontra-se o óbito da esposa de Pedro Franco Quaresma ( Ana Nunes Cardosa) que era natual de Taubaté , faleceu com 70 anos e foi sepultada na Capela do Rosário dos Pretos, onde hoje é a atual Prefeitura de Jacuí.

 

No dia 05 de junho de 1763 faleceu escravo João do Capitão Pedro Franco Quaresma, sepultamento na  Matriz de Jacuí.

No dia 21 de outubro de 1765 faleceu escrava Felicidade, natural ( Nação: Cuba), escrava do Capitão Pedro Franco Quaresma.

No dia 20 de maio de 1766 faleceu Maria , natural ( Nação: Mina), escrava do Capitão Pedro Franco Quaresma.

No dia 29 de abril de 1769 faleceu Francisco, natural ( Nação: Angola) escravo do Capitão Pedro Franco Quaresma.

No dia 3 de outubro de 1769 faleceu Manoel, escravo do Capitão Pedro Franco Quaresma.

No dia 11 de dezembro de 1770 faleceu Vicente, escravo do Capitão Pedro Franco Quaresma, sepultado no cemitério do Guarda-Mor: José de Macedo

No dia 20 de janeiro de 1771 faleceu Francisco ( inocente) escravo do Capitão Pedro Franco Quaresma.

No dia 09 de julho de 1771 faleceu Miguel ( inocente) escravo do Capitão Pedro Franco Quaresma.
Obs: José já vi várias referências do nome de Pedro Franco Quaresma nos livros de batismo e casamentos, só ainda não registrei esses dados. Assim que tiver registrado eu passo para complementar nossas reuniões. O interessante é saber da sua permanência na região, até 1771 ( ano referente aos dados dos óbitos ) ou até mais adiante.
O que também achei curioso é que a esposa do Capitão foi sepultada na Igreja do Rosário dos Pretos e não na Matriz.

Abraços, Renata.
- Pesquisa realizada pela Pesquisadora e Historiadora, profa. Renata J.C. Silva, de Jacui.

   

 

 


  



Campanhole, Adriano – Memória da Cidade de Caconde
Acervo PROBRIG       
AHU-ACL-N- Goias

Documento: 2038

1766

Verbete:

PORTARIA (cópia) do [governador e capitão-general de Goiás, conde dos Arcos, D. Marcos de Noronha], ordenando a Pedro Franco Quaresma e a todos os oficiais de justiça e milícia que possam proceder à prisão de todos aqueles que embaraçarem a exploração do território dos ribeirões chamados São Pedro e Comprido que ficam entre o rio Paranaíba e rio das Velhas.

Porquanto Pedro Franco Quaresma tenha dado entrada e manifesto na Superintendência desta Comarca de dois ribeirões chamados São Pedro e Comprido, que ficam entre o rio Paranaíba e rio das Velhas, caminho de São Paulo para estas Minas, e assim mais de um braço do mesmo rio das Velhas com todos os seus tabuleiros e mais uma itaipaba do rio Grande, também caminho de São Paulo, as quais terras e seus ribeirões são pertencentes a este governo e na forma das ordens de SM se lhe concedeu tempo pela Superintendência para poder fazer exames e averiguações necessárias para se vir no conhecimento se o ouro é, ou não, de conta e porquanto me consta que alguns mineiros pertencentes a outros governos pretendem introduzir-se na posse do mesmo descoberto fazendo violência a este governo, e aos moradores dele. Ordeno ao sobredito Pedro Franco Quaresma, e a todos os oficiais de justiça ou milícia que me são subordinados que possam proceder contra toda aquela pessoa que intentar embaraçar esta exploração ou introduzir-se na posse das mesmas terras, e os tais réus serão remetidos a esta vila com toda a segurança, com o sumário das culpas que lhe resultarem, para lhes impor a pena que por elas merecerem, e será o sobredito Pedro Franco Quaresma obrigado a dar-me parte de tudo o que suceder para lhe distribuir as ordens necessárias,  e enquanto as não receber minhas, ou do Superintendente das terras minerais desta Comarca não consentirá que se façam socavações ou alguma outra diligência para extrair ouro das terras, córregos ou ribeirões por ser “asitre” conveniente ao bem comum dos vassalos de SM e ao seu real serviço, por conta do qual deve não só observar, Pedro Franco Quaresma, o disposto nesta portaria mais o regimento que lhe mandei passar por esta secretaria, e igualmente todas as ordens passadas pela Superintendência, ficando responsável a todas de que se lhe pedir conta. Vila Boa // 3 de janeiro de 1752 = com a rubrica de S. Exa.
Secretário do Governo
Diogo Luis Peleia Sotomaior

Em 3 de janeiro de 1752, Pedro Franco Quaresma deu a manifesto perante o governo de Goiás o descoberto “de dois ribeirões chamados São Pedro e Comprido, que ficam entre o rio Paranaíba e rio das Velhas, caminho de São Paulo para estas Minas, e assim mais de um braço do mesmo rio das Velhas com todos os seus tabuleiros e mais uma itaipaba do rio Grande, também caminho de São Paulo”. O governador de Goiás determinou e o coronel José Velho Barreto tomou posse de toda a região, com todo o cerimonial e providências exigidas, dando início oficial ao Arraial do Rio das Velhas. 

Este rio, no conjunto chamado “São Pedro e Comprido”, fora dado a manifesto ao Governo de Goiás, por Pedro Franco Quaresma em 1752 – vide AHU-ACL-N- Goiás, documento nº 2586, p. 8. Este rio, no conjunto chamado “São Pedro e Comprido”, fora dado a manifesto ao Governo de Goiás, por Pedro Franco Quaresma em 1752 – vide AHU-ACL-N- Goiás, documento nº 2586, p. 8.  8.